125569930_2202283559961329_4660745925411163488_n.jpg

UMCOLETIVO é uma associação cultural, fundada em 2013,  que desenvolve atividades no âmbito da criação artística, tendo como eixos a relação com o território, a exploração plástica da palavra e a convocação do público para o epicentro do objeto artístico - onde transversalmente se encontra uma ideia de reescrita, de tempo real e de voz.

A estrutura desenvolveu uma forte relação com Elvas, local onde esteve sediada e território de implementação da maioria das atividades até 2022. Fomos responsáveis pelo ACTO - Festa do Teatro em Elvas e por A Salto - Tomada Artística da Cidade de Elvas. Trabalhámos para o desenvolvimento de novos públicos, através de um protocolo com o PNA e a OEI, num projeto piloto na Escola Básica de Vila Boim, com acompanhamento científico da artista e investigadora Simone Donatelli.

Trabalhamos ancorados na ideia de construção de vias de reciprocidade artística e afetiva, dentro dos território e entre territórios, Portalegre e Elvas, no desenvolvimento de uma estratégia de formação de públicos e artistas.

A partir de 2022, estamos sediados em Portalegre, no Convento de Santa Clara, partilhando espaço com o Teatro do Convento. Trabalhamos continuamente com as escolas rurais do Agrupamento de Escolas José Régio, no desenvolvimento de competências artísticas a nível da fruição e criação junto de alunos, professores e funcionários desta comunidade educativa.

Colaboramos ainda com a Sílaba Dinâmica no desenvolvimento do projeto LUNGO DROM, que pretende minorar clivagens e comunidade cigana e sociedade maioritaria, criando um Museu Nómada - com o apoio da Gulbenkian e da La Caixa através do programa PARTIS & Art for change.

Os nossos projetos de criação procuram cada vez mais a simbiose com os vectores do desenvolvimento de novos públicos e da programação. Entendemos o espaço de construção artística como um lugar partilhado, horizontal e aberto - uma estufa de afetividade e democracia, onde somos minuciosos a explorar ideias e a levantar questões. Das criações apresentadas destacam-se:

Tempestade (2019 - convite do CCB - Fábrica das Artes)

CARTAS (2018 - a partir das cartas de Maria Helena Vilhena a Amílcar Cabral),

Três Irmãs (2016 - prémios TIME OUT Lisboa Melhor Espetáculo e Melhor Atriz);

Escuridão Bonita (2014 - coprodução com o MOTIM - Mostra Internacional de Teatro para a Infância de Mindelo/Cabo Verde)

Inércia (2015 - a partir do texto inédito de Fernando Pessoa)

Agora, em Portalegre, somos a Cátia Terrinca, o David Costa, o João P. Nunes e a Raquel Pedro. Trabalhamos de perto com o Bruno Caracol, a Mariana Bragada e o Ricardo Boléo. Dedicamo-nos a Ventriloquia - um projeto de fôlego que recupera espólio literário feminino do século XX, desenvolvendo a partir dele objetos contemporâneos.

1/72