DSCF6869_1_edited.jpg

Tempestade

9 de Maio de 2019 (estreia)

Centro Cultural de Belém

Lisboa, Portugal

No coração escuro da Tempestade, Próspero envelhece, misterioso e só.

 

Sonha histórias de assombro: ora náufrago, ora criatura mágica, ora livre, ora prisioneiro.

A ilha é uma máquina de sonhos feitos de ar, de sons, de palavras. Coisas que se ouvem como estrelas cadentes deixam o rasto.

Um espetáculo que parte de A Tempestade, de William Shakespeare, para experimentar o eco da palavra e do som como exercício de imaginação individual.

No coração escuro da Tempestade, Próspero envelhece, misterioso e só.

 

Sonha histórias de assombro: ora náufrago, ora criatura mágica, ora livre, ora prisioneiro.

A ilha é uma máquina de sonhos feitos de ar, de sons, de palavras. Coisas que se ouvem como estrelas cadentes deixam o rasto.

Um espetáculo que parte de A Tempestade, de William Shakespeare, para experimentar o eco da palavra e do som como exercício de imaginação individual.

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA

Criação: Cátia Terrinca e Francisco Salgado

Dramaturgia: Jorge Palinhos

Interpretação: Mónica Garnel

Cenografia: Bruno Caracol

Figurino: Joana Leal

Sonoplastia: Diogo Rodrigues

Desenho de luz: João P. Nunes 

Fotografia: Alípio Padilha

Produção: Márcia Conceição

Apoios: DGartes, Município de Castro Verde, Município de Elvas, Município de Loures, Museu de Arte Contemporânea de Elvas.

Um convite da Fábrica das Artes - Centro Cultural de Belém

#16 Projeto UMCOLETIVO

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/12